• Ana Silva | @ana.logique

03 benefícios para o empreendedor da Due Diligence aplicada a Investimentos em Startups

gif

“Avião sem asa, fogueira sem brasa, sou eu assim sem você” - com certeza você já escutou esse verso em alguma apresentação de escola, no rádio ou em algum vídeo de declaração de amor pelas redes sociais.


E, por mais estranho que pareça, as palavras de Adriana Calcanhotto também podem ser aplicadas à relação que existe entre uma Startup e um investimento: já que, às vezes, a primeira não faz tanto sentido sem o segundo. O recebimento de aportes financeiros é primordial para que sejam iniciadas e mantidas a inovação e escalabilidade, por exemplo, dessa espécie de empresa, características inerentes a esse ramo empresarial.


No entanto, assim como qualquer decisão tomada em relação a negócios, não é recomendável que o movimento das aplicações seja feito de modo precipitado, porque quando pensamos em investimentos, inevitavelmente pensamos em riscos. E, para um investidor, é importante avaliar todos os riscos antes de injetar seu dinheiro no empreendimento - o que é possibilitado pelo procedimento de Due Diligence.


A partir de agora, faremos um breve apanhado sobre o que é analisado na fase de Due Diligence e quais os benefícios de tal procedimento. Vamos lá!


No que consiste o procedimento da Due Diligence?


De modo simples, a Due Diligence consiste numa apuração de informações referentes à Startup que irá receber o investimento, de modo a esclarecer, ao investidor, quais são os riscos e as vantagens envolvendo a possível transação.


Aqui, são analisados documentos societários, contratos trabalhistas, documentos referentes à propriedade intelectual, bem como registros e livros que demonstram a situação fiscal, jurídica e financeira da empresa - o que, então, permite ao investidor desenvolver condições suficientes para tomar sua decisão quanto ao seguimento do investimento.


Quais são os benefícios da aplicação da Due Diligence ao investir?

  1. Melhor relação empreendimento-investidor: devido à análise dos riscos, a Due Diligence evita o efeito “surpresa”, evitando, assim, desgastes, e tornando o contato entre as partes mais harmonioso;

  2. Maior segurança ao investidor e ao seu investimento: a investigação de informações demonstra se a operação irá atender aos critérios do investidor, o que possibilita uma tomada de decisão mais resguardada;

  3. Descobrir a sustentabilidade do investimento no futuro: a extensa análise de documentos referentes a diversas áreas da empresa possibilita ao investidor fazer a projeção de seus investimentos - se haverá retorno ou não e como isso irá ocorrerá.


Assim, a implementação da prática é extremamente favorável para todas as partes envolvidas nas operações de investimento. Uma equipe preparada e específica para efetuar o recolhimento, a análise e a condensação de informações é essencial para que o envio e o recebimento do aporte seja seguro, bem-sucedido e preciso!