• bmadvog

O que é Valuation em Startups e por que ele é importante para esse mercado?


Valuation significa valoração e, ao se referir a uma Startup, diz respeito ao valor que ela possui no mercado, o qual serve de base para a definição do percentual da empresa que os fundadores vão oferecer a um investidor em troca de uma proposta de investimento.


Contextualizando, de forma prática, se um investidor colocar R$ 100.000,00 em uma startup e, com esse investimento, a empresa passa a ter valuation de R$ 1.000.000,00, o investidor tem direito a 10% de participação.


Desse modo, o cálculo de valuation para empresas em estágios iniciais busca medir, de forma prévia, a potencial de ascensão da empresa, o que não necessariamente tem conexão com o seu valor patrimonial.


Por isso, podemos afirmar que o valuation vai além de números e cálculos, em especial, traz a ideia de diagnóstico da empresa, com uma qualificação financeira que leva em conta todas as suas alterações, tais como, mas não se limitando a, crescimento e redução da receita, impacto econômico de mercados e redução de custos.

Nesta abordagem, quais elementos e o que um investidor olha quando avalia uma Startup?


Ao decidir investir em uma startup, é importante um olhar crítico por parte do investidor para pontos estratégicos da empresa investida, principalmente quando inserida em um mercado considerado instável.


Por isso, é recomendável observar:

1) O desempenho atual da empresa;

2) A perspectiva de crescimento em ativos, receita e custos; e

3) Os riscos associados com estes fluxos de caixa esperados.


No que diz respeito ao mercado das startups, que vem crescendo ano após ano, sabe-se que se caracteriza ele por ser instável, ágil e altamente competitivo. Por isso, há vários critérios e variáveis diferentes para mensurar o seu real valor.


Nesse sentido, é importante ressaltar que o setor no qual a startup trabalha é um dos principais fatores para o investidor realizar um aporte inicial na empresa, além de outras características que podem ser validadas por meio das seguintes perguntas:

  • A empresa tem um bom produto? (especialmente para empresas em estágio inicial)

  • A empresa tem uma base forte de clientes?

  • Como está a receita da empresa?

  • O time da empresa a ser investida é composto por profissionais engajados, sérios e preparados e com boa reputação?

Mas, afinal de contas, como é calculado o valor de uma startup?


1) Soma de ativos ao lucro líquido: Por se tratar de um modelo mais simples, é recomendado para startups de pequeno porte, com pouco tempo de atuação de atuação no mercado e no máximo dois sócios.


Com foco nas finanças, e utilizando os valores obtidos no último balanço fiscal realizado, o cálculo do patrimônio líquido é dado pela diferença entre os ativos e o passivo (ativo menos o passivo).


2) Venture Capital: Um pouco mais complexo, o modelo é indicado a empresas que já operam há mais tempo no mercado.


Por essa razão, recomenda-se que startups mais consolidadas e com um faturamento melhor definido optem por esse modelo. A aplicação do venture capital parte de quatro informações: i) expectativa de investimento; ii) estimativa de faturamento anual; iii) projeção de receita para o ano de resgate do investimento; e iv) expectativa de margem líquida para esse mesmo período.


O objetivo de ambos os modelos apresentados acima é, portanto, para o investidor, avaliar se vale a pena ou não investir na empresa, e para o empreendedor, avaliar se a oferta recebida é proporcional ao percentual solicitado ou oferecido.


Desse modo, ciente do conceito de valuation, da sua importância e da sua forma de cálculo, utilize-o para atrair mais investidores, de modo, por exemplo, a não comprometer desnecessariamente percentual excessivo da sua empresa.

Todos os direitos reservados - Barreto e Maia Advogados ©2018

Avenida Santos Dumont, 1.510, 14º andar, Fortaleza/CE  

contato@barretoemaia.com.br